RÁDIO LICEU

BLOG DA RÁDIO LICEU DO PARACURI

DIA MUNDIAL DO RÁDIO

Instituído há três anos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para lembrar a criação da Rádio ONU, em 1946, Dia Mundial do Rádio é comemorado em 13 de fevereiro - um dia para celebrar o rádio como um meio para melhorar a cooperação internacional entre as emissoras e incentivar as grandes redes e as rádios comunitárias a promover o acesso à informação, a liberdade de expressão e a igualdade de gênero sobre suas ondas. 
Como o rádio continua a evoluir na era digital, continua sendo a midia que atinge o maior público no mundo inteiro. É um canal ideal para consolidar o compromisso da UNESCO em promover a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres.
Por meio das celebrações do Dia Mundial do Rádio em todo o mundo, a UNESCO irá promover a igualdade de gênero:
  • Sensibilizando proprietários de estações de rádio, executivos , jornalistas e governos a desenvolver políticas e estratégias relacionadas a gênero;
  • Eliminando estereótipos e retratando múltiplas dimensões e segmentos no rádio;
  • Fortalecendo habilidades para juventude na produção de rádio com foco nas meninas como produtoras, radialistas e jornalistas;
  • Promovendo a segurança de mulheres radialistas.
A UNESCO convida a todos os países para celebrar o Dia Mundial do Rádio, planejando atividades em parceria com as emissoras regionais , nacionais e internacionais, organizações não-governamentais, da mídia e do público. Em 13 de fevereiro, vamos celebrar as mulheres no rádio e aqueles que apoiam o rádio no Brasil!
Em mensagem divulgada pela Unesco, a diretora-geral da organização, Irina Bokova, destaca que “as mulheres têm assumido papel decisivo no crescimento do rádio. Como cidadãs jornalistas, repórteres, produtoras, técnicas e tomadoras de decisão, as mulheres estão trabalhando em cada nível da indústria da radiodifusão para garantir a livre troca de opiniões, informações e ideias pelas ondas do rádio.”
Nesta data comemorativa, o Liceu Escola de Artes e Ofícios "Mestre Raimundo Cardoso" lembra a participação da Rádio Liceu do Paracuri como ferramenta que propicia o uso do rádio como metodologia para promover oportunidades de informação, educação e comunicação para jovens e adultos e suas famílias, valorizar o Aprender pelo Fazer, refletir sobre as questões políticas, sociais e culturais que envolvem a comunidade e desenvolver comportamentos leitores e escritores e a oralidade dos alunos.

Vídeo: Rádio Liceu - A Sintonia do Saber
Fontes:
http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/prizes-and-celebrations/world-radio-day/
http://www.ebc.com.br/sobre-a-ebc/sala-de-imprensa/2014/02/radios-ebc-preparam-programacao-especial-para-celebrar-o-dia
Pesquisa: Equipe da Rádio Liceu do Paracuri
Postado por Prof. José Carlos


RÁDIO LICEU DO PARACURI NA MOSTRA CULTURAL 2013

Rádio Liceu do Paracuri participou da Mostra Cultural 2013 do Liceu Escola Mestre Raimundo Cardoso, sob a coordenação do aluno Anderson Moraes, da Turma 441 (4ª Totalidade da EJA). 













Professores Glauce AntunesJosé Carlos Oliveira e Aluno Anderson Moraes (EJA): comemoração do Dia do Folclore

Imagens: Anderson Moraes (EJA e Acervo do Liceu Escola
Postado por Prof. José Carlos

DIA DO RÁDIO E DA RADIODIFUSÃO

25 DE SETEMBRO

Modelo antigo de rádio
A primeira emissora de rádio no Brasil, foi fundada em 20 de abril de 1923, tendo como fundador Edgar Roquete Pinto, na Academia Brasileira de Ciências, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro com o prefixo PRA-A. Logo depois veio a Rádio Clube do Brasil PRA-B, fundada por Elba Dias.

Em São Paulo/SP a primeira Emissora foi a EDUCADORA PAULISTA, fundada em 1924, e em Belo Horizonte, a primeira rádio foi a RÁDIO MINEIRA, fundada em 30 de maio de 1936. Hoje, lamentavelmente fora do ar. Mas, a primeira transmissão do Rádio foi no dia 07 de setembro de 1922, durante a exposição comemorativa do Centenário da Independência.

O discurso do então Presidente da República, Epitácio pessoa, além de ser ouvido no recinto da exposição, chegou também em Niterói, Petrópolis e São Paulo, graças à instalação de uma retransmissora no Corcovado e de aparelhos de recepção nesses locais. Hoje são milhares de rádios espalhadas pelo país, levando alegria, entretenimento e informação para um Brasil de audiência, e principalmente ao ouvinte que sempre fez do Rádio seu grande companheiro. Dia 25 de setembro, Dia do Rádio.

Na época da fundação da primeira emissora de Rádio do Brasil, não existiam escolas para formação de Radialistas. Foram os Radioamadores os primeiros locutores, por já possuírem experiência com microfones. Uma característica era fazer uma programação cultural, que consistia em música Erudita, conferência e palestras que não interessavam ao ouvinte.

Na Era do Rádio, o grande astro era "Vital Fernandes da Silva", o "Nhõ Totico", que permaneceu no ar por 30 anos. O mais incrível é que nesta época ele apresentava dois programas ao vivo e totalmente improvisado. Nos dias de hoje, com um ouvinte mais exigente, o radialista precisa de muita técnica e ter um padrão que se identifique com cada emissora.

Mas o ponto em comum entre eles tem que ser o carisma. Dentro de cada Radialista existe um inexplicável sentimento de dedicação e o interesse pelo que faz. Só o idealismo não é o suficiente, existe a necessidade do talento. Com milhares de bons Radialistas espalhados pelo Brasil, o Rádio é hoje rico, oferecendo boas opções para aquele que merece todo o nosso respeito: o ouvinte. 

O Radialista é um sonhador, um apaixonado que faz parte do cotidiano das pessoas.



RÁDIO ESCOLAR

Logotipo
O Liceu Escola começou a desenvolver um projeto de Rádio Escolar desde 2011, coordenado pelo professor José Carlos Oliveira (Informática Educativa), com ênfase na Educação de Jovens e Adultos: Rádio Liceu na Sintonia da EJA.
O projeto Rádio Liceu na Sintonia da EJA é uma ferramenta de promoção da inclusão social dos alunos, via inclusão digital, com a utilização do espaço da Sala de Informática Educativa, responsável pela instrumentalização e motivação para o uso das tecnologias da informação e comunicação – ferramentas indispensáveis nos dias atuais.
Esse projeto, pensado interativa e consensualmente na comunidade, se constitui em instrumento utilizado para criar estratégias de comunicação social para pensar e agir coletivamente sobre a mudança e a melhoria da qualidade das relações sociais e, consequentemente, da vida das pessoas.

Com linguagem rápida e objetiva, o Rádio informa, anima e forma opinião. É um meio de comunicação instantâneo, que permite mais espaços para a participação dos ouvintes, falando ao vivo, ou através de textos impressos (bilhete, carta, recado, aviso etc.). Portanto, é o veículo ideal para promover a saúde, a educação, a cidadania dos alunos.

Essas características o projeto Rádio Liceu na Sintonia da EJA busca evidenciar, no sentido de melhorar a aprendizagem dos alunos da Educação de Jovens e Adultos, facilitando a interação entre os indivíduos, as comunidades e os ecossistemas comunicativos dos espaços intra e extraescolar, a reflexão sobre as questões políticas, sociais e culturais que envolvem a comunidade; com destaque para um dos aspectos mais importantes do Rádio: o alcance dos que ainda não sabem ler.

EJA 2011: equipe da Rádio Novo Sonho

EJA 2011: visita à Rádio Sorriso FM (Icoaraci)
EJA 2011: alunos da 2ª Totalidade elaboram um roteiro de rádio
EJA 2012: alunos Anderson Moraes e Sérgio Paulo
Ensaio de locução de rádio: Ana Carolina e Anderson Moraes
2013: locução de um torneio de futsal da EJA: 
administrador Raimundo Monteiro e Prof. Palmiro Alvão

Diretora do Liceu, Profª Janice Lima, e administrador Raimundo Monteiro ouvem
explicações do aluno Anderson Moraes sobre o funcionamento da Radio Liceu do Paracuri



Vídeo da Rádio Liceu do Paracuri
Texto e Imagens: Prof. José Carlos
Postado por Prof. José Carlos


VISITA AO ESTÚDIO AXÉ

No dia 10/04 (quarta-feira), os alunos da EJA do Liceu Anderson Moraes (441), Juliete Monteiro (241), Maiane Amaral (241) e Maria da Conceição (241), sob a coordenação dos professores José Carlos (Sala de Informática Educativa) e Patrícia Perdigão (Ensino Religioso Escolar), visitaram o Estúdio Axé, no Conjunto Stelio Maroja.
O objetivo da visita foi a aprendizagem de técnicas de áudio e vídeo, para aplicação no projeto Rádio Liceu na Sintonia da EJA
Alunos e professores foram recepcionados pelo Sr. Walter Rebelo, proprietário do estúdio, que demonstrou o funcionamento de vários aplicativos de edição de áudio e vídeo, bem como  do chroma key (uma técnica de processamento de imagens cujo objetivo é eliminar o fundo de uma imagem para isolar os personagens ou objetos de interesse que posteriormente são combinados com uma outra imagem de fundo).









Da esquerda para a direita: Maiane, prof. José Carlos, Juliete, Conceição, profª Patrícia, Sr. Walter e Anderson
Postado por Prof. José Carlos

RÁDIO LICEU: A SINTONIA DO SABER

Vídeo produzido especialmente para a VI Mostra de Saberes da EJA, evento promovido pela Secretaria Municipal de Educação de Belém-PA.
A Rádio Liceu foi criada pelos alunos da Educação de Jovens e Adultos do Liceu Escola "Mestre Raimundo Cardoso", localizado em Icoaraci, Belém-PA. Inicialmente, foi denominada Rádio Novo Sonho, quando era exclusiva da EJA. Com a expansão para o Ensino Fundamental (turno da tarde), recebeu o nome atual, para contemplar a sua nova dimensão e assimilar o prestígio que a instituição Liceu tem no bairro do Paracuri.
Coordenada pelo professor José Carlos Oliveira, a Rádio Liceu tem por objetivos principais:
  • Demonstrar as potencialidades do uso do rádio na alfabetização de jovens e adultos;
  • Desenvolver nos alunos da EJA as habilidades de leitura, escrita e oralidade;
  • Favorecer o protagonismo dos alunos na construção de ideias e conhecimentos, através da conversa, da discussão, da diversão.

Vídeo RÁDIO LICEU: A SINTONIA DO SABER
Na imagem, o Mestre Ceramista Rosemiro, em entrevista ao aluno Joabe. Ao, fundo, o professor de História Jorge Azeredo. A locução em off é do aluno Anderson Moraes

Pelas Ondas do Rádio

Modelo antigo de rádio
Passados 90 anos da estreia da primeira emissora do País, o Rádio continua com o diferencial de atingir mais pessoas sem distinção de classe social.
As tecnologias da informação garantem ao País um sistema de comunicação que inclui televisão digital que reproduz imagens muito próximas à realidade, 94 milhões de brasileiros conectados à internet, 263 milhões de linhas de celulares e mais de 4 mil jornais impressos. Esses avanços, entretanto, ainda não superaram as principais características do Rádio. Entre elas, a possibilidade de transmitir informações no momento em que ocorrem, o baixo custo, a simplicidade da linguagem e amobilidade, o que permite que os ouvintes acompanhem a programação enquanto fazem outras atividades, como comer, trabalhar, caminhar, lavar roupas ou dirigir. 
Portanto, o Rádio é um veículo de comunicação de massa que consegue alcançar mais ouvintes sem distinção de classe social ou lugar de moradia. Vai mais longe, alcançando, inclusive, o meio da floresta, levando informação, programação musical, palavras de conforto e dicas para milhões de ouvintes espalhados em grandes cidades e nas regiões mais inacessíveis.

O Rádio no Brasil

Linha do Tempo
Confira na linha do tempo abaixo os principais momentos e fatos que marcaram a História do meio rádio em seus 90 anos de existência:

1883 - Do alto da Avenida Paulista, o padre gaúcho Landell de Moura realiza a primeira experiência radio-telefônica no Brasil, transmitindo um sinal de voz até o Morro de Santana – uma distância de oito quilômetros. Embora difira do modelo de transmissão de rádio, o experimento de Landell é considerado o passo inicial do meio Rádio no País.

1922 - Em 7 de setembro, quando o Brasil celebrava o centenário de sua Independência, uma feira comemorativa, no Rio de Janeiro, trouxe aquilo que era o assunto do momento nos Estados Unidos: a tecnologia da radiodifusão e seus aparelhos. Uma transmissão experimental foi realizada direto do Teatro Municipal. O público ouviu o pronunciamento do presidente Epitácio Pessoa e a ópera O Guarani, de Carlos Gomes. Apenas 80 receptores na capital fluminense e nas cidades de Niterói e Petrópolis acompanharam o evento.

"No dia 7 de setembro de 1922, o País celebrava os primeiros cem anos de existência fora das amarras do governo português. A cidade do Rio de Janeiro, então capital federal, comemorava a data com alguns eventos oficiais – entre eles uma exposição que trazia, pela primeira vez ao território nacional, os principais aparelhos e instrumentos da tecnologia da radiodifusão, que já haviam atingido uma escala considerável em território norte-americano.
Para demonstrar o funcionamento do principal “invento” da época, uma transmissão experimental foi realizada, tendo como palco o tradicional Teatro Municipal. Dali o público ouviu a voz do então presidente, Epitácio Pessoa, declamando as vantagens daquela nova tecnologia, seguida dos arranjos da ópera O Guarani, obra do compositor Carlos Gomes. Esses foram os sons da primeira transmissão radiofônica oficial da História do Brasil."
(90 Anos de Rádio)

1923 - 20 de abril, entra no ar a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada por Edgar Roquette Pinto, pai da radiodifusão brasileira. A emissora marca o início efetivo e regular das transmissões de rádio no País.
Empolgado com a inovação mostrada na feira, o médico e professor Roquette Pinto convence a Academia Brasileira de Ciência a adquirir os primeiros equipamentos de rádio, criando, na sequência, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, a primeira emissora do Brasil. Sua programação era composta de ópera e recitais de poesia.

1924 - No dia 1º de junho é fundada a Rádio Clube do Brasil, a primeira do País que conseguiria autorização do governo para transmitir anúncios publicitários e contar com a participação de artistas. Nessa época, a exploração publicitária nas transmissões radiofônicas ainda era proibida.

1927 - O advento das mesas de controle de som (que permitiam que um toca-disco fosse executado diretamente, sem a necessidade de captação do áudio via microfone) marca o início da era eletrônica do rádio.

1930 - O rádio começava, aos poucos, a se tornar um veículo mais popular. Em São Paulo, porém, o prelo de um aparelho ainda correspondia a quase um sexto da renda mensal de uma família de classe média da época.

1931 - Nascem a Rádio Record (PRB9) e a Rádio América, em São Paulo.

1932 - O governo do presidente Getúlio Vargas autoriza as inserções publicitárias, inaugurando assim o atual modelo de mídia comercial. Na época, somente 10% da grade poderia ser ocupada por comerciais (atualmente, esse índice é de 25%). Nesse mesmo ano, o governo também passa a distribuir concessões de canais a empresas privadas e a indivíduos.

1934 - Algumas emissoras, como a Philips, começam a explorar os anúncios publicitários de outra maneira. Os apresentadores Adhemar Cassé e Nássara criam os primeiros modelos de jingles publicitários. É inaugurada a Rádio Mayrink Veiga, que seria uma das maiores emissoras do Rio de Janeiro.

1936 - Entra no ar a Rádio Nacional, que seria a de maior sucesso na chamada ‘Era de Ouro’ do Rádio no Brasil. Responsável pelo lançamento dos maiores nomes da música nacional, conquistou tanto sucesso que chegou a ser utilizada pelo presidente Vargas como ponto de apoio de sua campanha política.

1937 - Assis Chateaubriand inaugura a rádio Tupi, uma das maiores do Brasil.

1941 - Entra no ar o Repórter Esso, o primeiro programa de jornalismo da História do rádio brasileiro. Patrocinado pela Esso do Brasil, contava com um repórter que informava as principais notícias do dia, com destaque para a participação do País na Segunda Guerra Mundial. Após a exibição de diversos radioteatros, a Rádio Nacional veicula a primeira radionovela do País: Em Busca da Felicidade.

1944No Rio de Janeiro é inaugurada a Rádio Globo.

1948 - Inicia-se a fase áurea dos programas de auditório, na qual nomes como Emilinha Borba, Marlene e Dalva de Oliveira cativavam os ouvidos e a imaginação dos ouvintes.

1951 - A radionovela O Direito de Nascer se torna o primeiro fenômeno de audiência do rádio brasileiro. A Rádio Nacional ficou em destaque com a exibição de 314 capítulos, que mantiveram a novela no ar por mais de três anos.

1962 - É realizada a primeira transmissão de rádio via satélite. Em novembro, é criada a a Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert).

1968 - Chega ao fim a era do Repórter Esso no rádio. Após apresentar o programa por muitos anos, o locutor Gontijo Theodoro despede-se do público.

1970 - Ainda de forma tímida, as emissoras de frequência FM começam a se instalar no País.

1991 - Com o slogan “A Rádio que Toca Notícia”, o Sistema Globo de Rádio inaugura a CBN, com a proposta de veicular jornalismo 24 horas por dia.

1995 - Com a difusão da internet no Brasil, inicia-se a era da transmissão das emissoras para o ambiente online. De início com sites tímidos e de poucas funcionalidades, as rádios foram, aos poucos, fazendo da web uma extensão do dial.

1996 - A CBN é a primeira rádio de notícias a ser transmitida na frequência FM.

2004 - A operadora de telefonia Oi dá o passo inicial da nova era das rádios customizadas, com a participação de anunciantes que dão nome e estilo ás emissoras. Na sequência, surgiram outros exemplos, como a Sul-América Trânsito, Sul-América Paradiso, Mitsubishi FM, Fast 89, entre outras.

2005 - começam as primeiras transmissões de rádio no sistema digital.

2012 - No momento em que completa 90 anos, o rádio atravessa a fase final da definição de seu modelo digital. Governo promete que, até o fim do ano, as diretrizes para a digitalização estejam definidas. Nesse mesmo ano, também, o País ganha o primeiro Grand Prix de rádio no Festival de Criatividade de Cannes. A peça vencedora foi desenvolvida pela Talent para a revista Go Outside, que usava uma frequência radiofônica imperceptível ao ouvido humano, mas que conseguia ter um efeito repelente aos mosquitos.

Primeira transmissão experimental de rádio no Brasil: 7 de setembro de 1922

9,4 mil emissoras de rádio
88,1% dos domicílios têm um rádio
90 milhões de receptores de rádio em celulares

A Voz mais antiga do Brasil

Perto de completar 78 anos de existência, o programa de rádio "Voz do Brasil" entrou para o Guiness Book em 1995 como o mais antigo do País. Ele começou a ser transmitido durante o governo de Getúlio Vargas, com o nome de "Programa Nacional". De 1964 a 1962, foi ao ar com a denominação "Hora do Brasil".
O programa passou a ter veiculação obrigatória em 1938, com a divulgação de atos do Poder Executivo, das 19 às 20 horas, horário de Brasília. Em 1962, O Poder Legislativo passou a ocupar a segunda meia hora do noticiário. Durante o período da Ditadura Militar, em 1971, o programa passou a se chamar "Voz do Brasil". Hoje, ele transmite informações sobre os Poderes Executivo, Judiciário, Legislativo e sobre o Tribunal de Contas da União. Apesar de manter a obrigatoriedade da transmissão, o noticiário foi reformulado em 1998, numa tentativa de retirar resquícios de autoritarismo do período militar.
Segundo a Radiobrás, a "Voz do Brasil" ainda é o único veículo de informação para milhares de brasileiros que vivem em regiões afastadas dos centros urbanos.


A Voz do Brasil passa a ser transmitida também em vídeo

Pesquisa: Turma 441
Fontes: Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e Ministério das Comunicações
(Folha Universal - 31/03/2013)
Postado por Prof. José Carlos



História do Rádio no Brasil

Início
  • Foi oficialmente inaugurado a 7 de Setembro 1922;
  • Com um transmissor de 500 watts, da Westinghouse, no alto do Corcovado - RJ, para 80 receptores;
  • O primeiro programa foi o discurso do Presidente Epitácio Pessoa;
  • A instalação de fato aconteceu em 20 de abril de 1923, com Roquette Pinto e Henry Morize – "Rádio Sociedade do Rio de Janeiro";
  • Sua programação era para a elite, não para a massa: com óperas, recitais de poesia, concertos, palestras culturais;
  • Receptores caros, importados;
  • Finalidade cultural, educativa e altruísta;
  • Mensalidades pagas para quem tinha os receptores, doações;
  • Anúncios pagos eram proibidos.
Era comercial
  • Começam na década de 30 as transformações;
  • Decreto nº 21.111, de 01/03/32, autorizava comerciais em 10% da programação;
  • O erudito se torna popular;
  • Contratam-se artistas e produtores;
  • A competição trouxe:
    1. Desenvolvimento técnico;
    2. Status da emissora (ibope);
    3. Popularidade do veículo.
Época de "Ouro do Rádio"

“O impacto do rádio sobre a sociedade brasileira, nesta época, foi muito mais profundo do que aquele que a televisão viria a produzir 30 anos depois." (A era do Rádio, Orlando Miranda, p.72).
  • Nos anos 40, acontece a "Época de Ouro do Rádio";
  • Programação mais popular, mais audiência;
  • Surge o Ibope, dia 13 de Maio 1942;
  • A primeira radionovela, 1942: "Em busca da felicidade";
  • Esportes, radiojornalismo – “Repórter Esso”;
  • O contexto da Primeira Guerra Mundial e a Copa do Mundo marcaram esta época do Rádio.
Chega a TV e o Rádio muda
  • Os artistas do Rádio vão para a TV;
  • Trocam-se os artistas e programas de humor por música;
  • As novelas e programas de auditório por serviços de utilidade pública;
  • Busca-se a segmentação;
  • Chega um poderoso impulso: o Transistor, em 23/12/47. Comunicação mais ágil, ao vivo da rua, e receptores sem tomadas;
  • As FMs aparecem na década de 60, com muito mais músicas.
Pesquisa: Turma 441
Fonte: História do Rádio no Brasil. Disponível em:  
<http://www.espirito.org.br/portal/artigos/ednilsom-comunicacao/radio-historia.html>. Acesso em 16.04.2013.
Postado por Prof. José Carlos

Nenhum comentário:

Postar um comentário