segunda-feira, 30 de março de 2015

EJA: COMEMORAÇÃO DO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

O dia 06 de março de 2015 foi reservado inteiramente às mulheres do Liceu Escola. O administrador do turno, Raimundo Monteiro e o professor Francisco das Chagas, de Artes, organizaram a comemoração desta data icônica.
O professor Francisco emocionou a todos com suas palavras sobre a importância da mulher na sociedade, na vida em família, na escola e nos mais diversos espaços sociais, destacando seu lado forte, carinhoso e cuidadoso. Ressaltou que não há um consenso histórico quanto à existência ou não do fato que teria originado a comemoração do Dia da Mulher em todo o mundo, porém que esta incerteza não anula a importância da data.
Continuando as homenagens, a artista Adélia Carvalho, convidada especial do professor Francisco, fez um monólogo todo especial falando da força feminina. Outra mulher que prestou suas homenagens foi a professora Marluce Amaral, lendo um poema comemorativo.
O administrador Monteiro falou das desigualdades de gênero que ainda perduram na sociedade, da relação da mulher com o mercado de trabalho. Apesar de haver aumentado significativamente a presença de mulheres no mercado de trabalho, elas ainda enfrentam relação de desigualdade com os homens no que diz respeito às questões salariais, e ascensão nos postos de trabalho. Falou da sua própria relação de trabalho com as mulheres, que estão presentes, inclusive, nos ambientes de alta periculosidade, como centros de recuperação de menores infratores.
O aluno Sandro da Paixão, da turma 341, prestou sua homenagem citando Provérbios 31, passagem da Bíblia Cristã que fala da mulher virtuosa. O aluno José Carneiro, da mesma turma, destacou a importância da denúncia de todo e qualquer ato abusivo contra as mulheres, ressaltando que a inércia perante estes fatos, perpetua a relação de violência.

O professor José Carlos, da sala de informática, falou do papel da mulher enquanto chefe de família no Pará, e na fragilidade da relação do homem com a família, destacando a importância da educação como transformadora da realidade social e que a comemoração do Dia da Mulher deve ir além de homenagens e ter um lado mais crítico, debatendo-se questões como desigualdade de gênero e violência.
Aline Ellen Fontes
Coordenadora da EJA






Aluna Maria das Graças Cardoso, da turma 141, mencionada pelo administrador Raimundo Monteiro como exemplo de mulher dos dias atuais



Atriz Adélia Carvalho



Prof. Valdeci Nascimento



Administrador Raimundo Monteiro e Profª Marluce Amaral
Profª Rose Souza e Bibliuotecária Edna Pereira
Mestre Rosemiro


José Carneiro, aluno da turma 341
Prof. José Carlos Oliveira
Aluno Sandro Rocha
Vídeo

Dia Internacional da Mulher

Imagens: Aline Ellen Fontes e José Carlos Oliveira
Postado por Prof. José Carlos

quinta-feira, 12 de março de 2015

DIA DO BIBLIOTECÁRIO - 12 DE MARÇO

O Dia do Bibliotecário é comemorado no dia 12 de março, e foi instituído no dia 12 de abril de 1980 pelo Decreto nº 84.631, para ser comemorado em todo o território nacional.

Origem do Dia do Bibliotecário 

O Dia do Bibliotecário é comemorado no dia 12 de março, porque é a data do nascimento do bibliotecário Manuel Bastos Tigre, que foi considerado o primeiro bibliotecário concursado do Brasil. 

Manuel Bastos Tigre trabalhou durante muitos anos na Biblioteca Central da Universidade do Brasil, da qual tornou-se Diretor, depois de aposentado. 
(Fonte: http://www.calendarr.com/brasil/dia-do-bibliotecario/)

Incentivando a prática da leitura
O Liberal (Magazine, 6), quinta-feira, 12 de março de 2015

Priscila Melo encara a profissão, comemorada hoje, como um desafio diário (Foto: O Liberal - Divulgação)
BIBLIOTECÁRIA
Em plena era digital  elas conseguem despertar o interesse pelos livros

"A leitura é a base de tudo. A criança que tem prazer em praticar a leitura desde cedo, não terá dificuldade em assimilar os conteúdos desenvolvidos em sala de aula. É extremamente gratificante para mim, tanto como profissional como pessoa, saber que os alunos me têm como ponto de referência, como alguém que mostra o melhor caminho para eles encontrarem as informações que buscam". É assim que a bibliotecária Priscila Melo, formada há 8 anos, encara o desafio da profissão, cujo dia é comemorado hoje.

Priscila trabalha há seis anos na biblioteca da escola Liceu de Artes e Ofícios Mestre Raimundo Cardoso, no distrito de Icoaraci, e, para ela, trabalhar em uma biblioteca escolar foi a melhor experiência profissional que poderia ter acontecido. Foi no dia a dia da escola que a jovem bibliotecária compreendeu melhor a importância da carreira que escolheu.

"Eu amo o trabalho que desenvolvo com as crianças aqui, e poder ver que elas também valorizam e reconhecem o que eu faço não tem preço. Eu sei que todos os dias, na hora do intervalo, elas vão passar por aqui para entregar um livro, ler outro ou até mesmo apenas conversar", emociona-se.

(...)

A cidade de Belém aparece como uma exceção nacional no que diz respeito à existência de bibliotecas nas escolas. A Lei nº 12.224, estabelece que cada escola tenha a sua própria biblioteca. O prazo para o cumprimento da Lei é até o ano de 2020.

Belém cumpriu a Lei muito antes do prazo final. Todas as escolas do município de Belém já possuem bibliotecas, mesmo aquelas que estão funcionando em prédios alugados por conta de reformas. (grifos nossos).

Postado por Prof. José Carlos Oliveira

domingo, 8 de março de 2015

08 DE MARÇO — DIA INTERNACIONAL DA MULHER

É celebrado em 08 de março o Dia Internacional da Mulher, data que acabou sendo símbolo das conquistas que as mulheres efetivaram no século XX.

O Dia Internacional da mulher é comemorado em 08 de março
Desde meados da década de 1960, convencionou-se comemorar o Dia Internacional da Mulher em 08 de março. Essa data é tida como símbolo de uma série de reivindicações e conquistas de direitos, sobretudo no âmbito trabalhista. Entretanto, a escolha dessa data para tal comemoração frequentemente está associadas a equívocos ou a invenções históricas que precisam ser elucidadas.
Conta-se que em 8 de março de 1857, 129 operárias morreram carbonizadas em um incêndio que ocorrera nas instalações de uma fábrica têxtil na cidade de Nova York. Esse incêndio teria, supostamente, sido intencional. O proprietário da fábrica, como forma de repressão extrema às greves e levantes das operárias, teria trancado suas funcionárias na fábrica e nelas ateado fogo. Essa história, contudo, é falsa. E, obviamente, o 8 de março não está relacionado a ela.
Entretanto, houve sim um incêndio em uma fábrica de tecidos em Nova York, mas ele aconteceu no dia 25 de março de 1911, às cinco horas da tarde, na Triangle Shirtwaist Company, e vitimou 146 pessoas, sendo 125 mulheres e 21 homens. A maior parte dos mortos era constituída de judeus. As causas desse incêndio foram as péssimas instalações elétricas da fábrica associadas à composição do solo e das repartições da fábrica e, também, à grande quantidade de tecido presente no recinto, o que serviu de acelerador para o fogo. A esse cenário trágico somou-se o agravante de alguns proprietários de fábrica da época, incluindo o da Triangle, usarem como forma de contenção de motins e greves o artifício de trancar os funcionários na hora do expediente. No momento em que a Triangle pegou fogo, as portas estavam trancadas.
Um ano antes dessa tragédia, em 1910, na cidade de Copenhague, ocorreu o II Congresso Internacional de Mulheres Socialistas, que foi apoiado pela Internacional Comunista. Nesse evento, a então membro do Partido Comunista Alemão, Clara Zetkin, propôs a criação de um Dia Internacional da Mulher, sem, entretanto, estipular uma data específica. Essa proposta era fruto tanto do feminismo, que ascendia naquela época, quanto das correntes revolucionárias de esquerda, como o comunismo e o anarquismo – inclusive, a anarquista lituana Emma Goldman foi um dos nomes mais importantes da época.
O incêndio de 1911 viria a ser sugerido, nos EUA, como dia simbólico das mulheres (tal como sugerido por Clara Zetkin). A maioria dos movimentos reivindicava melhorias nas condições de trabalho nas fábricas e, por conseguinte, a concessão de direitos trabalhistas e eleitorais (entre outros) para as mulheres. Vários protestos e greves já ocorriam na Europa e nos Estados Unidos desde a segunda metade do século XIX. O movimento feminista e as demais associações de mulheres capitalizaram essas manifestações, de modo a enquadrá-las, por vezes, à agenda revolucionária. Foi o que aconteceu em 08 de março de 1917 na Rússia.
Sabemos que a Revolução Russa ocorreu em 1917, ou melhor, completou-se em outubro de 1917. Pois bem, no dia 08 de março desse ano, as mulheres trabalhadoras do setor de tecelagem entraram em greve e reivindicaram a ajuda dos operários do setor de metalurgia. Essa data entrou para a história como um grande feito de mulheres operárias e também como prenúncio da Revolução Bolchevique, como acentuou a pesquisadora Eva Alterman Blay, em seu artigo intitulado 8 de março: conquistas e controvérsias:
No século XX, as mulheres trabalhadoras continuaram a se manifestar em várias partes do mundo: Nova Iorque, Berlim, Viena (1911); São Petersburgo (1913). Causas e datas variavam. Em 1915, Alexandra Kollontai organizou uma reunião em Cristiana, perto de Oslo, contra a guerra. Nesse mesmo ano, Clara Zetkin faz uma conferência sobre a mulher. Em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no Calendário Juliano), trabalhadoras russas do setor de tecelagem entraram em greve e pediram apoio aos metalúrgicos. Para Trotski esta teria sido uma greve espontânea, não organizada, e teria sido o primeiro momento da Revolução de Outubro.” [1]
Após a Segunda Guerra Mundial, o dia 08 de março (em virtude da greve das mulheres russas) começou a tornar-se aos poucos o símbolo principal de homenagens às mulheres. Ao mês de março também foi, a partir de então, associado o evento do incêndio em Nova York, ocorrido no dia 25. A partir dos anos 1960, a data já estava praticamente consolidada, como apontou Eva Blay:
Na década de 60, o 8 de Março foi sendo constantemente escolhido como o dia comemorativo da mulher e se consagrou nas décadas seguintes. Certamente esta escolha não ocorreu em consequência do incêndio na Triangle, embora este fato tenha se somado à sucessão de enormes problemas das trabalhadoras em seus locais de trabalho, na vida sindical e nas perseguições decorrentes de justas reivindicações.” [2]
NOTAS:
[1]: BLAY, Eva Alterman. 8 de março: conquistas e controvérsiasRev. Estud. Fem., Florianópolis , v. 9,n. 2, 2001. pp. 604-605.
[2]: Idem. pp. 605.

Por Me. Cláudio Fernandes

Fonte: http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-da-mulher.htm
Postado por Prof. José Carlos Oliveira

quinta-feira, 5 de março de 2015

EJA: REUNIÃO COM A ETEJA DA SEMEC

A HP Coletiva da EJA do Liceu Escola ocorreu no dia 19 de fevereiro, com a presença do professor Junior, representante da Equipe Técnica da Educação de Jovens e Adultos da Secretaria Municipal de Educação de Belém.
Na reunião, coordenada pelo administrador Raimundo Monteiro e pela técnica pedagógica Aline Ellen Fontes, foram debatidas questões relativas ao número mínimo de alunos por turma, extensão do horário noturno, formação continuada dos professores e atividades extraescolares previstas para o ano letivo 2015.




Texto e foto: José Carlos Oliveira
Postado por Prof. José Carlos Oliveira

terça-feira, 3 de março de 2015

EJA: PLANEJAMENTO DA 1ª TOTALIDADE

As atividades da 1ª e 2ª Totalidades para o ano letivo de 2015 foram planejadas no dia 04 de fevereiro, sob a coordenação do administrador Raimundo Monteiro e da técnica pedagógica Aline Ellen Fontes, com a presença da professora-regente Marluce Amaral (1ª Totalidade) e dos professores e professoras dos demais espaços pedagógicos da Educação de Jovens e Adultos (Sala de Leitura, Sala de Informática Educativa, Biblioteca, Oficina de Torno, Artes, Educação Ambiental e Educação Física).
A reunião teve por objetivo integrar as ações dos diversos espaços pedagógicos num único projeto de ensino e aprendizagem.







Texto: José Carlos Oliveira
Foto: Aline Ellen Fontes
Postado por Prof. José Carlos Oliveira

EJA: AULA INAUGURAL 2015

No dia 26 de janeiro, às 19h30min, no auditório da escola, a equipe da Educação de Jovens e Adultos reuniu-se para dar início ao ano letivo de uma forma mais acolhedora.
O administrador Raimundo Monteiro abriu a programação com um discurso motivador aos novos e antigos alunos. Os professores tomaram a palavra e fizeram suas próprias apresentações e, em seguida, foi apresentado um vídeo com os principais eventos da EJA no ano de 2014. 

No espaço do refeitório, alunos e professores foram envolvidos em duas dinâmicas de integração e apresentação. A primeira - "a teia" -, foi comandada pelo professor Valdeci Nascimento, da biblioteca. O objetivo da dinâmica era integrar todos em uma rede de relacionamentos.  A seguir, para promover a interação, foi proposta a dinâmica do "emboladão", que propõe uma maior interação entre os participantes e proporciona a observação da capacidade de improviso e socialização, dinamismo, paciência e liderança dos integrantes do grupo.
                                                                 
PROGRAMAÇÃO DA AULA INAUGURAL

DATA: 26/01/2015
INÍCIO: 19h30min

LOCAL: Auditório
  •      Palavra inicial;
  •      Apresentação e palavra dos professores;
  •      Vídeo das atividades escolares de 2014.
LOCAL: Refeitório
      Dinâmicas de apresentação e integração
  • A teia;
  • Emboladão.
Encerramento: 21h30min

Coordenador administrativo Raimundo Monteiro

Profª Araci Rocha
Profª Rita Santos
video
Apresentação da Profª Rita Santos

Prof. Valdeci Nascimento
Profª Rose Souza
Prof. Palmiro Alvão
Prof. Giuseppe de Sousa 
Prof. José Carlos Oliveira
Prof. Marluce Amaral
Prof. Rosemiro Pereira
Dinâmica "A Teia"





Coordenadora pedagógica da EJA Aline Ellen Fontes
Texto e Foto: Aline Ellen Fontes
Postado por Prof. José Carlos Oliveira